Desmistificando o Gudja e seu aprendiz

Quando ouvimos a palavra Guðja, da língua gótica = Gutizka Razda, ou Goði, do nórdico antigo, com certeza um arquétipo conhecido passa por nossa mente, e em grande medida, difundido pelo imaginário coletivo do paganismo.

Alguns imaginam um ser sempre solene que guarda zelosamente os segredos da Tradição, que ele só compartilha com um seleto grupo tão misterioso quanto ele…

Não é nada disso!
 É preciso “descristianizar” o conceito para não cair nisso.

Como já foi mencionado em outros artigos, o Guðja ou Goði é uma pessoa dedicada à Tradição, que tem muitas obrigações vitalícias (como seu cargo), essas obrigações são realizadas em paridade com sua vida cotidiana., são um desafio extra para o seu dia a dia.

Um Guðja autêntico não faz negócios ensinando nossa fé, ele tem um emprego ou ofício e não passa a vida apresentando diplomas ou reconhecimentos que o endossam como tal (aqui não fazemos isso).

Então, o que faz de você um Guðja? sua comunidade.

O processo não tem nada de estranho.

Você estuda todos os aspectos da Tradição, você investiga, você aprende, você cresce como pessoa, você amadurece e essa dedicação te conecta com pessoas que têm mais experiência do que você, porque é isso que é preciso para fortalecer nossas próprias pessoas comprometidas.

Vou dar um exemplo simples, um dia você vem ao site por curiosidade e algum tempo depois, sente o impulso de contribuir com traduções, textos de sua autoria, mentorias e outras coisas que achar necessárias; é quando você passa de mero espectador a um futuro líder.

A iniciativa neste caminho é crucial.

Como os méritos são recompensados ​​neste caminho?

Bem, se o que você está procurando é um grupo motivacional que o aplaude por cada coisa boa que você faz, bem… você pode ficar um pouco frustrado.

Veja bem, méritos são como bens, ou seja, consequência do trabalho e da boa administração.

A razão pela qual às vezes mencionamos as conquistas do veterano Guðjas (que não deve incomodar ninguém) é porque queremos deixar claro com quem aprendemos.

Fazemos isso porque acreditamos que é necessário informar as pessoas desses detalhes para que os charlatães não se enfeitam com os esforços dos outros.

Voltando ao mérito, tudo se resume ao fato de que o que você contribui para a comunidade pagã se destaca aqui (e não quero dizer nada que tenha a ver com dinheiro). Não espere ser reconhecido apenas por suas habilidades extra-sensoriais, por comentar alguns textos, ter sonhos lúcidos proféticos ou por ser muito bom em artesanato com tema alemão, isso é pessoal.

Trabalho constante e projetos altruístas são valorizados aqui.

Devemos contribuir com a comunidade pagã fortalecendo os laços e respeitando as diferenças dos ramos sem desmerecer o que é nosso, essas são as bases do Oðinnismo, do que somos.

Quero enfatizar que, quando falo em contribuir para a comunidade pagã, me refiro à divulgação desinteressada de informações e à promoção de relacionamentos respeitosos com os outros ramos do paganismo (graças a este trabalho conhecemos pessoas maravilhosas e dedicadas).
Os vários ramos do paganismo podem ter diferentes interpretações de como Yggdrasil funciona, mas compartilhamos precisamente esses multiversos porque fazemos parte da mesma árvore.

Se alguém me perguntasse sobre o meu papel nesta comunidade, eu responderia que sou uma aprendiz gudja (pertenço à nova geração, com tudo o que isso implica) porque, de facto, estou a aprender com alguém em quem coloquei a minha devida confiança em suas ações, o Guðja Hoen Falker.

entendemos o quão difícil pode ser o caminho e os sacrifícios pessoais que essas pessoas fazem sem esperar aplausos ou diplomas; muitos desistem no caminho e isso é válido, essas funções não são para todos.

Outros continuam lutando, trabalhando todos os dias para seu clã, família e tribo.

Nem todo praticante é obrigado a ser Guðja (é importante saber que existem vários tipos de Guðjas e famílias, somos muito diversos e isso nos fortalece).

Um aprendiz de gudja pode ser um jovem em processo de amadurecimento emocional ou um adulto mais velho em processo de reestruturação.

Em ambos os casos, o título denota aprendizado e reconstrução de valores, principalmente para aqueles de nós que chegam a esse caminho em busca do que não encontramos nos outros.

O ‘aprendiz Guðja’ é assim chamado porque, como o nome indica, ele está aprendendo a contribuir com sua comunidade enquanto amadurece espiritualmente e encontra seu equilíbrio, qualidades que lhe permitirão desempenhar suas funções da melhor forma.

O resto, o místico, para chamá-lo de alguma forma, é de natureza pessoal e muitas vezes preferimos mostrá-lo na forma de poemas ou criações artísticas; novo

Sua gnose pessoal não verificável não precisa ser de domínio público, a menos que você esteja tentando compartilhar ensinamentos valiosos.

Quando você tiver dúvidas sobre a qualidade de um Guðja como pessoa, monitore o comportamento da comunidade que ele administra, existe um ambiente respeitoso? Quanta confiança você tem para resolver suas dúvidas dentro desse espaço? como estão seus aprendizes? que tipo de informação ele compartilha? Qual a importância das palavras em seu círculo?

Antes de ser um estudioso, ser conhecido em outros países e publicar impressos, um Guðja deve ser confiável.

No meu caso, poucas pessoas me conhecem, mas essas pessoas são muito importantes para mim.

Participo ativamente desta comunidade há aproximadamente 15 anos.

Para mim é muito valioso que um especialista me confie seu trabalho para traduzi-lo ou que líderes de outros ramos do paganismo me permitam aprender um pouco com eles, são coisas que se carrega no coração como a chama do lar depois de uma longa caminhada no frio.

Sem querer entrar em polêmica, quero esclarecer finalmente que somos Oðinnistas, não Asatrú.

Temos a nossa identidade definida e a nossa própria forma de gerir e fazer as coisas.

Cada ramo do paganismo tem sua própria maneira de trabalhar, portanto, fazemos isso como você pode ver neste fórum.

Nenhum ramo do paganismo tem autoridade para regular algo que não é deles, aqui não “evangelizamos” ninguém nem permitimos que outros venham e transformem nossa espiritualidade sob seus parâmetros.

O caminho para a paz é o respeito e isso é algo que procuramos cuidar neste espaço.

Gutané Jér Weiháilag.

ᚷᚢᛏᚨᚾᛖ ᛃᛖᚱ ᚹᛖᛁᚺᚨᛁᛚᚨᚷ.

Selene Ortiz Vázquez.

ᛊᛖᛚᛖᚾᛖ ᛟᚱᛏᛁᛉ ᚢᚨᛉᚲᚢᛖᛉ

H.O.S.F.

ᚺ.ᛟ.ᛊ.ᚠ.

México.

ᛗᛖᚲᛊᛁᚲᛟ.

compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

Pesquisar

Navegador!