Canto ao Grande Caolho

Canto ao Grande Caolho
 
A ti deus pai de todos
Senhor dos corvos e lobos
Encanto e magia em tuas palavras
Alegria mordaz em tua ironia.
 
Letras em tua honra exponho
Meu humor e minha fé te ofereço
Relâmpago que ilumina
Na minha alma esta tua poesia.
 
Wodan Wotan Vodan
Os campos semeados
Estão de teus guerreiros
Cheios de glória e vingança.
 
Asas de corvo negro
Flutuam nos céus
Benditas sejam elas
Sobre o auspicio do teu olhar.
 
Tu, grande deus caolho
Que concede o êxtase
Senhor da fúria
E da força recobrada.
 
Manto azul é a tua capa
Rápida e veloz tua montaria
Senhor de todas as runas
A vitória é a tua moradia.
 
Que à tribo visigoda
Tua benção seja dada
Onde queira que estejam
Que ressoe tua chamada.
 
Em toda Midjungard se alcem
Teus odinistas visigodos
Cruzando vales e oceanos
Tua espiritualidade será preservada.
 
© Guðja Hoen Falker.
I.O.S.F.
Brasil.

Um pensamento em “Canto ao Grande Caolho”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *